quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015


Clicando na imagem a minha homenagem a Aleijadinho
Em 2014 celebramos o Bicentenário de morte de Antônio Francisco Lisboa - O Aleijadinho. 
O dia 18 de novembro também foi instituído como o dia do Barroco  mineiro em homenagem ao mestre escultor. A sua vida é cercada de mistérios e os historiadores e críticos de arte não chegam a uma conclusão sobre a sua obra. Uns chamam o escultor de genial, outros dizem que existem vários "Aleijadinhos" porque uma pessoa só não poderia ter executado toda essa produção sozinho...
De toda forma a sua obra está aí para ser apreciada.


quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Cadê a água do mestre Aleijadinho?

Detalhe de capa
Lançamento setembro de 2014
Editora Saraiva, selo Formato


Isaías, Jeremias, Baruch, Ezequiel, Daniel, Oséias, Jonas, Joel, Amós, Naum, Abdias e Habacuc,  os 12 profetas retratados por Aleijadinho, foram esculpidos em pedra-sabão e são considerados suas obras-primas podendo ser vistos na Igreja Bom Jesus de Matosinhos em Congonhas do Campo, Minas Gerais. Essas esculturas estão colocadas na escadaria da igreja, uma região que é chamada de adro e podem ser admiradas por todos os visitantes. Alguns estudiosos estrangeiros chegam a comparar esse adro de Aleijadinho com um teatro, já que as poses dos profetas são dramáticas e muito bem estudadas. Os profetas são figuras religiosas que fizeram profecias, entre elas está a do nascimento de Jesus Cristo.



As esculturas, decorações e projetos arquitetônicos de igrejas, feitas por Aleijadinho, continuam a ser estudadas por críticos de arte e a despertar a curiosidade das pessoas comuns também (como o João Filismino, personagem desta história) mesmo depois de 200 anos. Essa é uma prova incontestável da vitalidade da sua arte através dos séculos. Este livro é uma pequena homenagem à obra e ao artista no ano de comemoração dos 200 anos de sua morte. Aleijadinho faleceu no dia 18 de novembro de 1814.


Clique para ampliar

Clique para ampliar





Esboço